NOTÍCIAS


Para evitar testes em animais, a Natura opta por recriar pele e órgãos humanos

[ad_1]

O estudo surge a partir da tecnologia chamada “human-on-a-chip”, que consiste em recriar a pele e órgãos humanos, a partir das reações destes produtos trabalhados em laboratórios.

O funcionamento desse método, é feito através da ativação de fluxos de líquidos e soluções, onde, imita a circulação de sangue em que permite a avaliação dos efeitos colaterais e não-colaterais, dos ingredientes cosméticos tanto dentro dos órgãos, quanto fora da pele. 

A Natura iniciou o estudo em 2019, com parceria do laboratório Centro Nacional de Pesquisa em Energia e MateriaisLNBio, para o melhoramento das matérias primas oferecidas pela empresa. 

No então, é válido ressaltar que a instituição Natura, desde 2006, não oferece testes em animais. E em, 2018, as linhas de alguns produtos passaram a ser biodegradáveis. 


Laboratório de pesquisa (Foto: Forbes/Reprodução) 


Em entrevista à revista Forbes, a Diretora-geral de Pesquisa e Desenvolvimento da Natura, Roseli Mello, explica que “[…] os resultados da aplicação do método desenvolvido pela Natura podem permitir aumento em até 10 vezes as concentrações de novas matérias-primas, favorecendo sua máxima potência e eficácia cosmética. A tecnologia representa um salto de qualidade técnico-científica na geração de dados de segurança.” 

Já o diretor do LNBio do CNPEM, Dr. Kleber Franchini, diz que “Iniciamos a implementação das tecnologias microfisiológicas no CNPEM em 2015. Desde então, avançamos no desenvolvimento de pele reconstituída, esferóides de tecido adiposo e hepático, modelos de barreira intestinal e de epitélio pulmonar. O domínio desse tipo de tecnologia nos permite conduzir colaborações de pesquisa que buscam resolver desafios tecnológicos na área de métodos alternativos, como demonstra essa parceria com a Natura.” 

Além da Natura incentivar o ensino e pesquisa, é possível identificar também, estratégias de consumo, principalmente, no conceito da inovação. Como relata a Gerente do Núcleo de Avaliação Pré-Clínica da Natura, Kelen Fabiola Arroteia, “a estratégia de desenvolver matérias-primas exclusivas da biodiversidade brasileira traz desafios adicionais ao processo de desenvolvimento de testes alternativos.” 

Ainda dizendo que, “para a Natura, a segurança de seus produtos e ingredientes está em primeiro lugar e entendemos que isso é algo primordial dentro da categoria cosmética.” Portanto, é tão importante para a empresa, pois acreditam no bem-estar de quem consome os produtos e na sustentabilidade social. 

Foto destaque: Slogan da Natura. Reprodução: Natura


[ad_2]
Fonte: G1


04/04/2023 – Web Rádio TOP

COMPARTILHE

@WEBRADIOTOPWM

(14) 98134-9663

[email protected]
Copyright © Web Rádio TOP – WMVOZ