NOTÍCIAS


Saiba por que isso não é real!

[ad_1]

A tireoide produz hormônios que regulam o humor, o metabolismo, os níveis de energia, a temperatura corporal, a frequência cardíaca e a pressão sanguínea. O hipotireoidismo ocorre quando esta glândula não está produzindo hormônios suficientes para atender às necessidades do seu corpo.

Um dos principais processos que esses hormônios ajudam a regular é o metabolismo — aquela palavra mágica que todos conhecemos devido à sua conexão com dieta e perda de peso.

Pessoas com hipotireoidismo tendem a se sentir cansadas e simplesmente não têm muita energia, tornando o exercício muito mais difícil. Com um metabolismo reduzido e uma perda da energia que você precisa para se exercitar, os quilos podem se acumular rapidamente. 

Apesar de levar a “culpa” do ganho de peso, não são realmente os distúrbios na tireoide as razões dos quilos a mais.

O médico nutrólogo e endocrinologista Dr. Ronan Araujo comenta que mesmo que o hipotireoidismo seja uma doença frequente que reduz levemente o metabolismo e disposição, já é bem documentado que o ganho de peso relacionado a doença é baixo, entre 2 e 3kg — sendo boa parte, edema (inchaço).

“Uma das principais razões pelas quais as pessoas não conseguem perder peso é o estilo de vida. Muitos fatoram a genética ou outros aspectos, mas na maioria dos casos é simplesmente uma questão de mudar hábitos. É importante tratá-lo em caso de diagnóstico positivo, mas também olhar para a sua rotina e estilo de vida de maneira global para explicar a dificuldade em perder peso.” explica o Dr. Ronan Araujo.

Dicas simples como, evitar alimentos gordurosos, fazer exercícios e dormir bem são fundamentais para quem quer ter uma vida mais saudável e, consequentemente, obter mais facilidade em perder peso.

Explicações genéricas não se aplicam quando falamos em emagrecimento e alcance da composição corporal desejada, é primordial realização de exames e acompanhamento médico para uma abordagem individualizada focada nos seus objetivos e saúde. Prevenindo assim o “efeito sanfona” e mantendo os resultados no longo prazo.

O médico também comenta que além de tomar sua medicação para tireoide, você pode ajudar a melhorar a função da tireoide optando por uma dieta mais balanceada. A melhor maneira de gerenciar o ganho de peso do hipotireoidismo é controlar a condição. Se você acelerar o metabolismo, o peso não deve continuar aumentando. Você também terá mais energia, o que pode ajudar a motivá-lo a se exercitar.

As pessoas com hipotireoidismo nunca devem usar a condição como desculpa para deixar os quilos aumentarem – é reconhecidamente mais difícil controlar seu peso com hipotireoidismo, mas pode ser feito. Se você precisa perder peso, comece por fazer pequenas mudanças em sua dieta para cortar calorias. Tente comer frutas em vez de um lanche pouco saudável ou troque sua sobremesa de alto teor calórico por uma opção de baixa caloria.

Veja alguns alimentos que podem ser grandes aliados numa dieta mais equilibrada para te auxiliar a amenizar os sintomas da tireoide:



Ômega-3: peixes ajudam com inflamação e imunidade

Os ácidos graxos ômega-3 encontrados em peixes gordurosos, como salmão selvagem, truta, atum ou sardinha, diminuem o risco de doenças cardíacas. O hipotireoidismo não controlado pode aumentar o risco de doença cardíaca como resultado de níveis mais altos de lipoproteína de baixa densidade (LDL), o colesterol “ruim”. Os ômega-3 são conhecidos por diminuir a inflamação, ajudar na imunidade e diminuir o risco dessas doenças.

As nozes são ricas em selênio, o que ajuda na função da tireoide

Outra grande fonte de selênio, as nozes são um lanche útil que você pode levar para qualquer lugar. Também vão bem em saladas ou refogados. As castanhas-do-pará, as nozes de macadâmia e as avelãs são todas particularmente ricas em selênio e ajudam no bom funcionamento da tireoide.

Uma observação: as nozes podem interferir na absorção do hormônio tireoidiano, portanto, evite comê-las ao mesmo tempo, em que toma o medicamento.

Grãos integrais ajudam a aliviar a constipação, um sintoma de hipotireoidismo

A constipação é um sintoma comum do hipotireoidismo. Alimentos integrais, como cereais, pão, macarrão e arroz, além de fibras, são ricos em nutrientes, o que pode ajudar na regularidade intestinal. No entanto, a fibra pode interferir nos hormônios tireoidianos sintéticos. Algumas pessoas com hipotireoidismo optam por evitar totalmente os grãos integrais, mas se você optar por comê-los, a recomendação é tomar a medicação para tireoide várias horas antes ou após comer alimentos ricos em fibras alimentares.

Frutas e legumes frescos ajudam a controlar o ganho de peso

Um sintoma precoce do hipotireoidismo é o ganho de peso. Alimentos de baixa caloria e alta densidade, como produtos frescos, são a base de todo programa de perda de peso bem-sucedido. Inclua frutas frescas ou vegetais em cada refeição, se possível. Alimentos específicos, como mirtilos, cerejas, batata-doce e pimentão verde também são ricos em antioxidantes, nutrientes conhecidos por reduzir o risco de doenças cardíacas.

No entanto, as pessoas com hipotireoidismo podem limitar a ingestão de vegetais crucíferos, como brócolis e repolho, a 140g ao dia, pois podem bloquear a capacidade da tireoide de absorver iodo, essencial para o funcionamento normal da tireoide.

Algas contém iodo, que é essencial para a função da tireoide
As algas marinhas possuem uma alta concentração de iodo, um nutriente essencial para o funcionamento da tireoide. O iodo é o precursor da produção do hormônio tireoidiano. As algas marinhas, embaladas, podem ser usadas em sushi, sopas e saladas. Outra vantagem: as algas marinhas oferecem benefícios nutricionais de fibras, cálcio e vitaminas A, B, C, E e K.

É possível ter muito iodo, o que pode piorar a doença da tireoide. No entanto, de acordo com a American Thyroid Association, a probabilidade disso é maior se você estiver tomando suplementos que contenham iodo.
O Dr. Ronan Araujo alerta de certificar-se de conversar com seu médico antes de aumentar sua ingestão de iodo.

Vitamina D é essencial à sua dieta da tireoide

A conexão entre vitamina D e tireoide é uma das principais características para promover a saúde do organismo. Nem todos sabem, mas, a vitamina D, na verdade, foi considerada por cientistas um hormônio esteroide. Assim, conta com ação em outros hormônios, inclusive os hormônios da tireoide.

A vitamina D pode ajudar a melhorar os níveis da tireoide, de acordo com um estudo publicado em 2018 no Indian Journal of Endocrinology and Metabolism, que descobriu que os suplementos de vitamina D melhoraram os níveis de TSH em indivíduos com hipotireoidismo, bem como os anticorpos tireoidianos em pessoas com tireoidite autoimune.

Feijão ajuda a manter a energia

O feijão é um alimento rico em nutrientes que pode ser benéfico para o hipotireoidismo. Ele contém proteínas, antioxidantes, carboidratos complexos e vitaminas e minerais essenciais. Além disso, é rico em fibras, o que pode ajudar a tratar os sintomas do hipotireoidismo.

“O acompanhamento médico é essencial para ajudar a tratar o hipotireoidismo. Como a doença pode causar sintomas diversos, é importante que o paciente seja monitorado de perto pelo seu médico. Dessa forma, com o devido acompanhamento médico e o uso de medicamentos adequados, é possível tratar eficazmente este problema de saúde, tornando muito mais fácil as possibilidades de perda de peso.” Finaliza o Dr. Ronan Araujo.

Foto Destaque: Reprodução


[ad_2]
Fonte: G1


26/01/2023 – Web Rádio TOP

COMPARTILHE

@WEBRADIOTOPWM

(14) 98134-9663

[email protected]
Copyright © Web Rádio TOP – WMVOZ